quarta-feira, 29 de abril de 2009

Edward Leão, Prof.


Nasceu em 26 de abril de 1898, em Tocantins (MG). Foi casado com dona Maria de Aquino Leão, mulher de acrisoladas virtudes. Teve dois filhos, ambos já falecidos: dr. Hugo de Aquino Leão, causídico brilhante, grande tribuno, educador, esportista, político e jornalista competente; e José d’Aquino Leão, o nosso saudoso Moreno Leão, serventuário da Justiça, esportista, torcedor apaixonado do Clube Atlético Mineiro e Associação Esportiva Raulsoarense, a gloriosa Águia dos Eucaliptos, poeta de rara inspiração, pianista, jornalista.

O professor Edward Leão chegou a Raul Soares na década de 20. Foi a expressão maior da intelectualidade e da cultura de nossa terra. Profundo conhecedor da língua pátria, foi em Minas Gerais um dos luminares no ensino da Língua e Literatura Portuguesa. Lecionou, também, a Língua Francesa, idioma que dominou com muita maestria tendo o privilégio de conhecer no original autores como Flaubert, Dumas, Zola, Daudet, Victor Hugo e outros grandes autores que enriqueceram a literatura universal com grandes e imorredouras obras. A extensão de seus conhecimentos fizeram que, eventualmente, lecionasse outras matérias: História, Geografia, Biologia... Foi professor, inicialmente, em cursos particulares, atingiu o clímax do magistério no Ginásio São Sebastião, posteriormente transformado em Instituto São Sebastião, casa de ensino fundada pelo professor Álvaro Pacheco, da cidade de Viçosa, que funcionou por mais de uma década no prédio onde hoje está a usina da Cooperativa Agropecuária de Raul Soares, na rua Bom Jesus. O complexo de ensino "Instituto São Sebastião" compreendia: Ginásio, Escola Normal Juana Coele e Escola Técnica de Comércio Vinte de Janeiro.

O renomado mestre foi também compositor e poeta inspirado. Compôs os hinos do Ginásio São Sebastião e da Escola Normal Juana Coele. A sua obra poética bastante vasta tinha a influência das escolas parnasiana e simbólica, nas quais pontificaram Bilac, Cruz e Souza, Alphonsus de Guimaraens, o místico de Mariana.

Autorizado depoimento do também grande poeta Gonçalves da Costa nos diz que Edward Leão era "dotado de cultura geral invejável, tinha uma expressão fácil, copiosa e envolvente. Se entrávamos às apalpadelas num assunto qualquer ele notando algo logo tal situação, modestamente, e com habilidade, se esgueirava até atingir o assunto, dominando-o, dissecando-o até o âmago.

Sua produção literária encontra-se esparsa em todas as publicações da Zona da Mata, principalmente nos jornais "Raul Soares", "A Tribuna", "O Imparcial", e no "Jornal do Povo", o grande jornal de Ponte Nova do inesquecível Aníbal Lopes. Publicou os livros "Alma Errante", dedicado a Mário Mendes Campos, conterrâneo e amigo inseparável do poeta, e "Tapera Ensolarada".

Foi eficiente serventuário da Justiça mineira como titular do Cartório do 1º Ofício e do Registro de Imóveis da Comarca de Raul Soares. "Causeur" admirável e orador primoroso, conferencista e historiador, encantava a todos pela profundidade de seus conceitos, riqueza das imagens e pureza vernacular. Eventualmente, foi político, suplente de vereador à Câmara Municipal de Raul Soares. O seu falecimento, ocorrido em 9 de agosto de 1956, foi muito sentido nos círculos intelectuais e culturais. Minas Gerais perdeu, então, uma das suas figuras mais ilustres e fascinantes.

Autoria: José Geraldo Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário