quarta-feira, 29 de abril de 2009

Jayme Peixoto


Chegou em Raul soares em uma data que já se perdeu nas brumas do tempo aqui criando raízes profundas que ramificaram.

Casado com D. Albertina Vieira Peixoto, uma mulher de acendradas virtudes e de muita fibra e amor ao trabalho, constituiu com ela uma prole numerosa: oito filhos.

Perdeu um dos filhos, prematuramente, ainda muito jovem: Geraldo, o nosso saudoso Lauzinho. Muito amigo de Lauzinho, a perda de um filho tão bom e carinhoso, trouxe ao casal muita mágoa e tristeza.

Jaiminho foi a última perda a lamentar.

Jayme Peixoto começou muito jovem a sua luta, na área rural. Trabalho duro e de muitas canseiras.

Homem inteligente e observador convenceu-se de que na atividade comercial encontraria a melhor oportunidade de desenvolvimento e satisfação pessoal. Inicialmente, foi empregado, e posteriormente estabeleceu-se por conta própria. Foi com as promoções da "União", pioneiro na propaganda comercial em Raul Soares. Distribuía brindes à clientela através de sorteios que realizava periodicamente dentre aqueles com um certo valor de compra.

Presidiu os destinos da Industrial São Sebastião S.A. (Tarza) em momentos cruciais da vida da empresa, em fase de consolidação. O seu tirocínio e competência administrativa refletiram-se na evolução da empresa gerando lucros e empregos. Doente, se viu na contingência de vender o seu controle, o que ocorreu em 1978. Preocupou-se naquele momento com a possibilidade de a empresa sair de Raul Soares pelas consequências que ocorreriam na economia do município.

Felizmente, os seus temores não se converteram em realidade, continuando a empresa em nossa cidade e num acentuado ritmo de crescimento e progresso em decorrência de novas energias e inteligências postas a seu serviço. A verdade é que as empresas são como os seres humanos. Há momentos em que mudanças, até drásticas, se tornam necessárias a bem de todo o organismo empresarial e, em sendo a terapêutica corretamente aplicada e conduzida, restaura-se a sua potencialidade.

Colaborou eficazmente para minorar o problema de habitação na cidade através dos loteamentos "bairro tarza" e "vila esperança".

Foi um dos fundadores da telefônica de Raul soares S.A., posteriormente encampada pela Telefônica de Minas Gerais S.A. - Telemig, sendo seu presidente por um largo período.

Foi, ainda, presidente da Associação Comercial, Industrial e Lavoura de Raul Soares. Formulou, então, um projeto ambicioso para modernizar e incrementar as atividades da entidade.

Lamentavelmente, não conseguiu concretizar o seu planejamento por falta de sustentação financeira. Ontem – como hoje - a reduzida receita financeira das entidades desta espécie jamais oferecem condições para uma gestão eficaz e realizadora. Notória é a aversão dos brasileiros em se reunir em associações de classe, especialmente nas cidades do interior, em prejuízo de relevantes interesses comunitários. O imediatismo, o interesse estritamente de ordem pessoal, geralmente prevalecem.

Foi, por algum tempo, provedor do Hospital São Sebastião, a convite do grande amigo padre José Domingues, artífice desta grande obra que tantos benefícios tem prestado aos raul-soarenses.
Apesar de seu pouco ou nenhum entusiasmo para a política nunca faltou com o seu apoio aos amigos Dr. Gerardo Grossi e Dr. Durval Octávio Grossi. Filiou-se à união democrática nacional – UDN, elegendo-se vereador à câmara municipal de Raul soares com excelente votação.
Tinha por hobby a caça e a pesca, muito mais aquela do que esta.

Certa época, com a ajuda de uma filha brilhante jornalista, publicou no jornal "Estado de Minas", de belo horizonte (MG), uma reportagem deveras interessante, ilustrada com fotos, que se constitui em um verdadeiro documentário ecológico. Mostrou com riqueza de detalhes aspectos de nossas matas e rios.

Motociclista e motorista, sempre se envolveu com veículos participando de algumas disputas de motos com Besouro, Chico Bolostroque e outros adeptos do motociclismo. Adquiria os seus carros - Willys - de concessionárias do Rio de Janeiro, viajando especialmente para conduzi-los até a cidade de Raul Soares.

Juntamente com o Dr. Armando Sodré e outros amigos empresários fez uma tentativa para a implantação de uma usina de açúcar em Raul Soares, liderando a constituição da usina açucareira de Raul Soares S/A, contudo, por uma série de fatores alheios à vontade do grupo, não foi concretizado o projeto. Não houve prejuízo algum para aqueles que subscreveram ações do empreendimento já que foram devidamente ressarcidos pelo valor de suas subscrições. No local onde se localizaria a usina temos hoje a progressista vila esperança.

Jayme Peixoto tem lugar de destaque na história de nosso município.

Autoria: José Geraldo Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário